quinta-feira, 5 de julho de 2012

A decisão na hora de escolher um curso na area de computação!


Achei muito interessante o texto encontrado no blog do Dr. Jair C. Leite, pois expressa e ajuda a identificar as diferenças nos cursos de computação, o que muitas vezes assombra os vestibulando que pleitem uma vaga nesta areá.
Posso citar aqui meu exemplo pois ao iniciar o curso de Informática, onde a grade curricular era voltada integralmente para Ciências da Computação, fiquei muito surpresa com a quantidade de disciplinas de matemática, porém como já tinha afinidade na área de exatas não foi tão complicado, porem a universidade juntamente com a coordenação mudaram a grade curricular, sendo assim mudando o curso pra Sistemas de Informação e os questionamento foram os diversos: O que iria influenciar na minha formação? Em que área a minha profissão atua? questionamento inerentes de um estudante que via um futuro agora incerto e sem identificar sua função no mercado de trabalho.
Desde então já se vão 7 anos da minha formação e ainda me questiono qual o papel de cada profissional da área de computação num mundo em que a cada dia a tecnologia invade e transforma de maneira desenfreada modelos e conceitos estipulados pela sociedade.

Diferenças entre os cursos de computação

O curso de Bacharelado em Ciência da Computação oferece uma formação mais ampla na área, cobrindo suas diferentes sub-áreas (computação gráfica, inteligência artificial, arquitetura de computadores, redes de computadores, teoria da computação, e sistemas distribuídos) e não oferece, portanto, formação específica e direcionada para a área de engenharia de software. 

O curso de Bacharelado em Sistemas de Informação oferece uma formação voltada a profissionais que desejam trabalhar na área de tecnologia de informação, cobrindo técnicas e métodos de análise de processos de negócio de empresas, e que se concentram sobretudo na produção de um tipo específico de software, os sistemas de informação. 

curso de Engenharia de Computação é voltado, principalmente, para o projeto de sistemas de hardware e sistemas de software relacionados à automação industrial, telecomunicações, e sistemas embarcados.    

A Engenharia de Software é fundamentada sobretudo na ciência da computação e na matemática [Software Engineering Curriculum ACM/IEEE, 2005]. Ao longo dos últimos anos, a área de engenharia de software e suas diferentes disciplinas têm amadurecido bastante, através da proposição de novos métodos e técnicas que possibilitem o desenvolvimento de softwares mais confiáveis, de melhor qualidade, com custo reduzido e alta produtividade. 

Buscando atingir tais objetivos, a formação do profissional de ES exige não apenas um amplo domínio de técnicas de programação modernas e avançadas, mas também o conhecimento e o domínio das diferentes disciplinas que compõem o processo de desenvolvimento de software. 

A IEEE Computer Society apresenta, em seu guia de corpo de conhecimento na área de engenharia de software [SWEBOK, 2004], as principais disciplinas que compõem a área, sendo elas: requisitos, projeto, construção, testes, manutenção de software, gerência de configuração, gestão de projetos, processos de desenvolvimento, ferramentas e métricas de engenharia de software, e qualidade de software. Cada uma destas disciplinas requer o aprendizado de técnicas e ferramentas específicas. 

A diferença de formação de profissionais nas diferentes carreiras em computação [ACM Carreers, 2009] é também destacada pela Association for Computing Machinery (ACM), a qual já reconhece explicitamente a área de engenharia de software como uma carreira na área de computação, e destaca as diferenças e necessidades de formação de profissionais em comparação com outras carreiras, tais como, ciência da computação e engenharia da computação. 









By Creditos: http://engenhariadesoftware.blogspot.com.br/2012/03/diferencas-entre-os-cursos-de.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário