quarta-feira, 27 de junho de 2012

Contemplação



Preciso estar a sós com os meus pensamentos

antes que eles escorram na brevidade dos momentos

Avalio o peso dos meus sentimentos

Contemplo minha imagem no espelho refletida

na implacável esfera cilíndrica, retida



Sou andarilha em minhas bucólicas pastagens

onde busco contemplar verdejantes paisagens

ainda que ofuscadas por tempestades

As vozes do cotidiano retumbam em meu íntimo

escoam pelas frestas das memórias em uníssono ritmo



Insisto em percorrer atalhos

passagens mais curtas em mim

mas é na extensão da estrada em frangalhos

que consigo enxergar melhor o que há no fim

                                                  * Úrsula A. Vairo Maia *

Nenhum comentário:

Postar um comentário