sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Reconvexo


Musica de Caetano Veloso
Interpretada por Maria Bethania  



Há alguns dias meu amigo Gabriel me mandou este link contendo esta musica de muito suingue e uma melodia envolvente, porém ao prestar atenção no que diz a letra da musica a torna ainda mais atrativa e misteriosa, provocando a curiosidade de desvendar o seu significado. Ao pesquisar encontrei vários comentários de também apaixonados por esta musica que queriam desvendar o significado do contexto da musica. Para que pudesse entender deve-se saber que primeiramente como toda criação literária, poética e musical deve ser primeiramente analisado as circunstancias em que o autor se encontrava na questão de tempo e lugar no momento da criação de sua obra. Na musica Reconvexo, encontrei um texto interessante de um professor mineiro Juscelio Doutor em línguas  que explica as vertentes que nortearam Caetano para criação desta musica.

No texto há um confronto entre um eu e um você. Eu refere-se a Caetano, que quer revelar na letra da música o seu orgulho de ser brasileiro, baiano, amante das coisas do país. O você, chamado de careta, refere-se a Paulo Francis.
Caetano, nesta época, estava em Roma e queria produzir uma música para Bethania gravar. Ao mesmo tempo, andava muito irritado com o jornalista Paulo Francis. Ele e Francis sempre foram amigos de polêmicas. Este já vivia em Nova Iorque nesta época e de lá escrevia textos jornalísticos sempre destrutivos e virulentos sobre a sociedade brasileira, os seus intelectuais, artistas e políticos. Nada nem ninguém escapava à verve satírica de Paulo Francis.
Caetano Veloso dá-lhe a resposta nesta música que termina descartando quem não é RECÔNCAVO (referência à Bahia) nem pode ser reconvexo. Esse é um neologismo, uma nova palavra criada por Caetano, com base em convexo, ou seja, aquilo que tem uma cavidade curva, que forma uma saliência arredondada para fora. Recôncavo baiano é a área litorânea do estado da Bahia, em torno da baía de Todos os Santos. Para Caetano, Paulo Francis não pode ser Recôncavo nem reconvexo. Por isso, descarta aquele que ele considera careta.
A música começou a surgir em uma manhã, quando, ao sair à rua, o compositor viu os carros cobertos de areia e perguntou a amigos italianos que o acompanhavam o que causava aquele fenômeno.Responderam-lhe que a areia vinha do deserto do Saara, trazida pelo vento.Foi o motivo primeiro para a sua inspiração. O motivo central da música foi dar uma esnobada em Paulo Francis."



"...O artista toma para si a língua, independemente da determinação histórica e social dela. Podemos dizer que o verdadeiro triunfo do artista sobre a língua acontece na criação da poesia e, interessante, com armas linguísticas, como diz o filósofo russo Bakhtin, fornecidas pela própria língua. É como se a língua dissesse para o artista que ele precisa ajudá-la a superar-se a si mesma. E quanto mais alto o grau dessa superação, mais criativa e original a poesia é". 


Na próxima iremos tentar entender a expressão "Guita Gogoia".

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Mudanças...

Não dar importância não significa ignorar é somente buscar dar valores as coisas que realmente são importantes!












Não pense muito sobre o que os outros fazem. Conserve a sua energia. Mesmo que você encontre um momento oportuno para falar com eles, não há garantia de que eles serão receptivos e mudarão. Apenas seja paciente e envie bons votos. O fruto da paciência é muito doce. Não é uma questão de criar pensamentos mas ter sentimentos muito puros. Coisas que são verdadeiramente do meu coração alcançarão o coração dos outros.



Stephen Mackey

quinta-feira, 5 de julho de 2012

A decisão na hora de escolher um curso na area de computação!


Achei muito interessante o texto encontrado no blog do Dr. Jair C. Leite, pois expressa e ajuda a identificar as diferenças nos cursos de computação, o que muitas vezes assombra os vestibulando que pleitem uma vaga nesta areá.
Posso citar aqui meu exemplo pois ao iniciar o curso de Informática, onde a grade curricular era voltada integralmente para Ciências da Computação, fiquei muito surpresa com a quantidade de disciplinas de matemática, porém como já tinha afinidade na área de exatas não foi tão complicado, porem a universidade juntamente com a coordenação mudaram a grade curricular, sendo assim mudando o curso pra Sistemas de Informação e os questionamento foram os diversos: O que iria influenciar na minha formação? Em que área a minha profissão atua? questionamento inerentes de um estudante que via um futuro agora incerto e sem identificar sua função no mercado de trabalho.
Desde então já se vão 7 anos da minha formação e ainda me questiono qual o papel de cada profissional da área de computação num mundo em que a cada dia a tecnologia invade e transforma de maneira desenfreada modelos e conceitos estipulados pela sociedade.

Diferenças entre os cursos de computação

O curso de Bacharelado em Ciência da Computação oferece uma formação mais ampla na área, cobrindo suas diferentes sub-áreas (computação gráfica, inteligência artificial, arquitetura de computadores, redes de computadores, teoria da computação, e sistemas distribuídos) e não oferece, portanto, formação específica e direcionada para a área de engenharia de software. 

O curso de Bacharelado em Sistemas de Informação oferece uma formação voltada a profissionais que desejam trabalhar na área de tecnologia de informação, cobrindo técnicas e métodos de análise de processos de negócio de empresas, e que se concentram sobretudo na produção de um tipo específico de software, os sistemas de informação. 

curso de Engenharia de Computação é voltado, principalmente, para o projeto de sistemas de hardware e sistemas de software relacionados à automação industrial, telecomunicações, e sistemas embarcados.    

A Engenharia de Software é fundamentada sobretudo na ciência da computação e na matemática [Software Engineering Curriculum ACM/IEEE, 2005]. Ao longo dos últimos anos, a área de engenharia de software e suas diferentes disciplinas têm amadurecido bastante, através da proposição de novos métodos e técnicas que possibilitem o desenvolvimento de softwares mais confiáveis, de melhor qualidade, com custo reduzido e alta produtividade. 

Buscando atingir tais objetivos, a formação do profissional de ES exige não apenas um amplo domínio de técnicas de programação modernas e avançadas, mas também o conhecimento e o domínio das diferentes disciplinas que compõem o processo de desenvolvimento de software. 

A IEEE Computer Society apresenta, em seu guia de corpo de conhecimento na área de engenharia de software [SWEBOK, 2004], as principais disciplinas que compõem a área, sendo elas: requisitos, projeto, construção, testes, manutenção de software, gerência de configuração, gestão de projetos, processos de desenvolvimento, ferramentas e métricas de engenharia de software, e qualidade de software. Cada uma destas disciplinas requer o aprendizado de técnicas e ferramentas específicas. 

A diferença de formação de profissionais nas diferentes carreiras em computação [ACM Carreers, 2009] é também destacada pela Association for Computing Machinery (ACM), a qual já reconhece explicitamente a área de engenharia de software como uma carreira na área de computação, e destaca as diferenças e necessidades de formação de profissionais em comparação com outras carreiras, tais como, ciência da computação e engenharia da computação. 









By Creditos: http://engenhariadesoftware.blogspot.com.br/2012/03/diferencas-entre-os-cursos-de.html

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Contemplação



Preciso estar a sós com os meus pensamentos

antes que eles escorram na brevidade dos momentos

Avalio o peso dos meus sentimentos

Contemplo minha imagem no espelho refletida

na implacável esfera cilíndrica, retida



Sou andarilha em minhas bucólicas pastagens

onde busco contemplar verdejantes paisagens

ainda que ofuscadas por tempestades

As vozes do cotidiano retumbam em meu íntimo

escoam pelas frestas das memórias em uníssono ritmo



Insisto em percorrer atalhos

passagens mais curtas em mim

mas é na extensão da estrada em frangalhos

que consigo enxergar melhor o que há no fim

                                                  * Úrsula A. Vairo Maia *

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Feliz Aniversário Vida!


Hoje é um dia muito feliz em minha vida, pois o meu querido e amado companheiro completa mais um ano de vida, nesta vida!
E a você gostaria de dedicar este lindo poema desta maravilhosa escritora, que é uma obra prima e com essa emoção que ele traduz lhe desejo toda a felicidade, saúde, paz, harmonia e muito amor!


Tu Tens um Medo

Acabar.
Não vês que acabas todo o dia.
Que morres no amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que te renovas todo dia.
No amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que és sempre outro.
Que és sempre o mesmo.
Que morrerás por idades imensas.
Até não teres medo de morrer.
E então serás eterno.
Não ames como os homens amam.
Não ames com amor.
Ama sem amor.
Ama sem querer.
Ama sem sentir.
Ama como se fosses outro.
Como se fosses amar.
Sem esperar.
 Tão separado do que ama, em ti,
Que não te inquiete
Se o amor leva à felicidade,
Se leva à morte,
Se leva a algum destino.
Se te leva.
E se vai, ele mesmo...
Não faças de ti Um sonho a realizar.
Vai.
Sem caminho marcado.
Tu és o de todos os caminhos.
Sê apenas uma presença.
Invisível presença silenciosa.
Todas as coisas esperam a luz,
Sem dizerem que a esperam.
Sem saberem que existe.
Todas as coisas esperarão por ti,
Sem te falarem.
Sem lhes falares.
Sê o que renuncia Altamente:
Sem tristeza da tua renúncia!
Sem orgulho da tua renúncia!
Abre as tuas mãos sobre o infinito.
E não deixes ficar de ti
Nem esse último gesto!
O que tu viste amargo,
Doloroso,
Difícil,
O que tu viste inútil
Foi o que viram os teus olhos
Humanos,
Esquecidos...
Enganados...
No momento da tua renúncia
Estende sobre a vida
Os teus olhos
E tu verás o que vias:
Mas tu verás melhor...
...E tudo que era efêmero se desfez.
E ficaste só tu, que é eterno.

Cecília Meireles.

 

 

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Mudança

- você mudou.
- como assim?, ele perguntou enquanto mastigava.
- você nem reclamou que esqueci de picar bem a cebola.
- é, sei lá. achava chato ver você picando a cebola só pra mim. aprendi a gostar dela assim.
A conversa deu uma pausa reticente. ela demorou a voltar a comer, como quem tinha mais a dizer, mas engoliu as palavras junto com o macarrão e mudou de assunto.
- sabe aquele livro que eu lendo?
- hum?
- sabe? o da capa amarela?
- sei, sei.
- viu ele por aí?
- vi em cima do sofá.
- já olhei lá. não achei.
- é porque eu guardei na estante.
- guardou?
- é. vi em cima do sofá e guardei.
- você viu o livro, pensou que aquele não era o lugar dele, pegou e guardou?
- fica de gracinha que na próxima coloco no chão, hein?
- calma, brincadeira. foi só um jeito desajeitado de demonstrar gratidão pela sua inédita atitude.
- isso é bom?
- é ótimo.
A mudança de hábitos era visível. tão visível que ela questionava a motivação. a tampa do vaso agora estava sempre fechada. a toalha de rosto estava sendo usada para enxugar o rosto e não para secar o suor embaixo do braço. os amigos que gastavam todo salário em micaretas sumiram. e o mais suspeito: o marido continuava feliz. 
Sentiu um cheiro de outra no ar. isso explicaria por que ele comprou um perfume novo e chegou com flores outro dia. o que mais pensar senão "fudeu, ele tem um caso"? depois de anos se esforçando, travando batalhas pra ele mudar, ele simplesmente... mudou? assim, por conta própria?
partiu então para a prova final.
- Luiz, a fim de ver um filme.
- pode ser. quer ir ao cinema?
- não. pensei em ver aquele que comprei outro dia.
- o do menino que dança?
- é, você resumiu bastante. é sobre uma família em que os homens tradicionalmente trabalham em minas e o caçula tem talento pra dançar. tem todo um contexto, uma profundidade.
- eu sei, eu sei. você falou tudo isso da outra vez que tentou me convencer.
- você não veria por mim?
- olha a chantagem, mari.
- poxa, você mudou em tanta coisa mais difícil.
- e nunca tá bom, ? tenho que ver o filme do boiolinha pra provar que te amo.
- não é boiola. ele só dança.
- ah, dá no mesmo.
- quer dizer que você não vai ver?
- só se você ameaçar cortar o sexo.
- tudo bem, deixa pra lá. eu vejo outro dia.
e deu as costas aliviada.

By Creditos: http://redatorasdemerda.blogspot.com.br/

terça-feira, 19 de junho de 2012

Começar uma semana...com feriado



Como levantar animada numa semana que já se iniciou com um feriado na segunda-feira?
Leio sempre post's em redes sociais, blogs e as lastimas de vários amigos sobre a "segundona brava" de toda semana...
O engraçado que para o deleite dos leitores postam comentários com rostinhos fofos de crianças que fazem poses mais fofas ainda...como se soubessem do assunto!
Outrora carinhas de animais super fofuxos reclamando da segunda-feira, como se eles soubessem realmente dessa dificuldade do homem!
E as semanas que temos que iniciar com feriado! parece que a terça-feira se torna mais cruel ...
O que se fazer para sanar esses vários conflitos internos que atingem milhares de trabalhadores?
O que nos resta? Separei ai umas dicas que tento me apegar nelas...

...

1- Mover o corpo da cama primeiro e fazer um check list para verificar se tudo esta em ordem.
2- Reconhecer que graças a (Deus, Buda, uma força maior ou simplesmente que seus atomos e moleculas reagiram perfeitamente ao periodo da noite, acredite em que quiser... mas acredite!) que voce agora esta vivo! Então...
3- Levantar a cabeça e dizer: "Vamos a luta!" pois a segunda já passou e amanha é meio da semana JÁ!
4- Fazer grandes planos para o dia como se fosse o ultimo. " Pois um dia será!"

Fica o recadinho!